em 5 de junho de 2019

A qualidade física de uma pessoa definitivamente determina muito da sua produtividade e performance no dia a dia, seja em um escritório, em uma lanchonete ou em um long set. Existem muitas frentes, estudos e crenças, algumas delas já antiquadras quando pensamos no que vem sendo revelado acerca dos exercícios físicos que realmente são efetivos e geram resultados positivos ao corpo humano.

Como recorrentemente colocamos aqui, a premissa básica é o equilíbrio, neste caso, o respeito entre o exercício e a recuperação, e antes que se pense qualquer coisa, lembre-se, o mercado do fitness se tornou algo milionário, sendo assim, tem muita gente interessada nele, sendo assim, nem todos estão preocupados em primeiro plano com a saúde.

  • Resistência

Treinos de resistência cardiovascular, resistência muscular, força, mobilidade, velocidade, coordenação, agilidade, equilíbrio, precisão, todos tem percentual de benefício, porém, hoje decidi tratar acerca do formato que considero como base no contexto físico produtivo do ser humano que é a “resistência.”

Ter resistência física significa um melhor sistema circulatório e respiratório, uma produção energética mais eficiente, uma maior capacidade para suportar a fadiga e por consequência, uma melhor condição para que o corpo possa suportar maiores períodos de estresse físico e também psicológico.

Dentre os exercícios de resistência, podemos citar: caminhadas, corridas, natação, ciclismo, futebol… O primeiro ponto está na intensidade, quer dizer, para desenvolver o condicionamento físico correspondente a resistência, será preciso adotar atividades mais desafiadoras do que simplesmente caminhar, uma boa pedida para o início, seria aeróbica, cross-training.

Visando desenvolver esta resistência, podemos pensar num contexto de treinos de pelo menos 3 vezes por semana, com uma duração de 30 a 60 minutos cada treino, buscando zonas de frequência cardíaca desejadas, ou seja, monitorando os batimentos cardíacos e assim tendo um bom indício para num primeiro momento reconhecer o impacto fisiológico do treinamento.

Pensando biologicamente, as mitocôndrias são nossa fonte produtora de energia, quanto mais mitocôndrias nossas células tiverem, melhor nosso funcionamento como um todo, sendo assim, uma boa pedida e sugestão aqui são os treinos HIIT, que se tornaram muito populares nos últimos tempos e que realmente quando bem orientados e executados, trazem ótimos resultados tanto no aumento do número de mitocôndrias, quanto no consumo máximo de oxigênio.

  • Overtraining

Basicamente o excesso de treinamento, ou seja, treinar mais do que seu corpo pode recuperar, carrega uma série de resultados negativos, como estamos aqui tratando de performance, deixo um gráfico que ajuda a explanar na prática como a utilização de um tempo ótimo de recuperação pode ser benéfico.

Fonte:www.powerliftingtowin.com/powerlifting-training-variables/

 

Corroborando com o que foi colocado na introdução, estudos vem demonstrando que o equilíbrio entre períodos de treino e descanso é uma grande premissa para a longevidade e saúde em geral.

Fianlizando, os pontos positivos do treino de resistência estão no aumento do volume do coração e força muscular, volume pulmonar, número de mirocôndrias e microvasculatura, menor pressão arterial em repouso, menor frequência cardíaca de repouso, aumento do volume sistólico do coração e débito cardíaco e melhora na captação de oxigênio, equilíbrio na ansiedade, depressão e estresse, além de prevenção de melhora de várias doenças crônicas.

Sendo assim, o acompanhamento por profissional capacitado é chave para que não ocorra erro, visto que cada metabolismo é diferente e as buscas de cada um também. A busca por saber quem você é e como você funciona é uma das coisas mais belas que você pode fazer por si mesmo.

 

Matth é Dj/Produtor e criador musical, Professor, Biólogo, Especialista em Neuroaprendizagem, Análises Clínicas e Microbiologia.

 

A playlist de hoje vai do Rock n’ Roll clássico ao Heavy Metal, sempre uma ótima pedida para acelerar o corpo e entrar no estado de workout!

Referências:

https://www.powerliftingtowin.com/powerlifting-training-variables/

https://www.physiology.org/doi/abs/10.1152/jappl.1980.48.3.523

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1600-0838.2012.01445.x

https://insights.ovid.com/crossref?an=00005768-200704000-00012

https://physoc.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1113/jphysiol.2007.142109

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/sms.12104

https://www.physiology.org/doi/full/10.1152/japplphysiol.00482.2003

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7707624

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3538475/

https://academic.oup.com/europace/article/11/9/1156/465401

https://academic.oup.com/eurheartj/article/29/15/1903/509365

Comentários

comentários